Por que você escolheu o judô?

Judô Colégio ECCOS

Após trinta anos praticando judô (sendo vinte deles como faixa preta), a pergunta que mais respondi foi:

— Por que judô?

No início, era questionado por amigos… Depois, na docência, os pais surgiram com o mesmo questionamento, ao que hoje respondo, com plena convicção:

Judô significa “Caminho Suave”. O professor Jigoro Kano, criador do judô, escolheu esse nome porque idealizou praticar uma atividade que não fosse apenas um esporte, mas uma filosofia de vida, com atuação na formação de pessoas para fazerem a diferença na sociedade.

A escolha do judô favorece:

  • a coordenação motora;
  • o equilíbrio;
  • a força;
  • a concentração;
  • a disciplina;
  • o respeito;
  • a ética;
  • a solidariedade;
  • o companheirismo.

Apesar do judô ser um esporte individual, o praticante está sempre aprendendo em grupo, o que contribui para desenvolver a socialização e fortalecer os laços de amizade.

Eu pratico o judô porque escolho trilhar o “Caminho”, caminho suave, caminho do bem.

Sensei Fabiano Barros

Faixa preta de judô, praticante há 30 anos, atleta integrante  da seleção de judô de São José dos Campos, Campeão Panamericano, 3 vezes representante do Brasil em campeonatos mundiais.

Parabéns aos formandos ECCOS aprovados no Colégio EMBRAER!

O Colégio Engº Juarez Wanderley (Ensino Médio), conhecido por ser um dos melhores do país, abriu pela primeira vez concurso de admissão para alunos de escolas particulares.

A aprovação da turma de formandos ECCOS 2018 foi de 66%!

Confira os depoimentos de Carlos e Gabriel…

Carlos

“O Colégio ECCOS foi muito importante na minha vida, aprendi muito, me acolheram com muito carinho, fiz muitos amigos, aprendi e evoluí muito mesmo… Agradeço imensamente por terem me apresentado um modelo de aprendizado diferente onde o aluno é valorizado.”

Carlos, Turma 2018

colegio eccos gabriel noronha de lima
colegio eccos gabriel noronha de lima


“Creio que o Colégio ECCOS me deu uma base muito forte no que se diz respeito às matérias… Apenas o conhecimento adquirido na escola foi suficiente para conseguir o tão desejado resultado na prova da Embraer enquanto diversas pessoas precisaram de cursinho para alcançar o mesmo resultado.”

Gabriel, Turma 2018

Parabéns aos estudantes, docentes e toda equipe ECCOS pela conquista!

Como será? (o relato de uma mãe)

colegio eccos como sera

Toda mudança gera desconforto em nós, adultos… Imagine a mudança na vida de uma criança? No meu caso, de duas.
Uma mistura de ansiedade, medo e curiosidade foram vividos em minha casa nesses últimos meses. A notícia da mudança de escola foi um misto de alegria e tristeza. Alegria por estar num ambiente novo, com pessoas novas e professores novos. E tristeza por deixar os ‘velhos’ amigos, a escola de tanto tempo, o porto seguro…
As férias passaram e o primeiro dia de aula chegou! Dos dois filhos, uma já estava preparada desde o início das férias: mochila organizada, material etiquetado, estojo impecável… O outro… A única fala que se ouvia era: “eu não quero voltar para a escola”.
Preocupada, fui lançando perguntas, até que veio o desabafo:
— Mãe, como será?
Na lista dos serás, coisas simples de se resolver e outras… Só o tempo revelaria:
— Quem será a minha professora? Como ela é? Será que ela é legal?
— Como será quando eu chego na escola? Fico no pátio? Vou para a sala de aula? Posso jogar bola?
— Será que terei novos amigos? Será que alguém vai falar comigo, ou ficarei sozinho o tempo todo?
— As matérias serão as mesmas da minha escola? Vou conseguir acompanhar? E o inglês?
— No intervalo, do que poderei brincar? O que ficarei fazendo? Bola, esconde-esconde, pega-pega, rodinha de conversa com outros amigos? O que as crianças levam de lanche?
— E meu material? Levarei para casa? Já terei tarefa no primeiro dia? Como serão as provas? Terei prova todos os dias?
— Como toca o sinal? É campainha, música?
— E a saída? Minha mãe me busca na sala? Alguém me chama?
São muitos os pensamentos que pairam na cabecinha da criança e por vezes, não temos ideia.
Hoje, as aulas começaram… E a respiração aos poucos volta ao seu estado normal. Muitas perguntas já foram respondidas. Outras, ainda não, mas tudo está mais leve, pois a realidade, no final das contas, superou positivamente todas as expectativas.
Agora, sim, estamos prontos para começar mais um ano!

Ana Luisa, mamãe do Henrique (3º ano) e da Helena (6º ano).